Home » Bem-estar » CLAREAMENTO DENTAL

CLAREAMENTO DENTAL

Uma nova abordagem para a técnica de clareamento dental em consultório 

O brasileiro é um dos povos mais vaidosos do mundo e o sorriso ganha um espaço cada vez maior nesse contexto de beleza e saúde. Os cirurgiões-dentistas são unânimes em evidenciar que prova disso é o aumento considerável na procura pelo clareamento dental. Mas apesar de ser um procedimento bem conhecido, o uso indiscriminado e a falta de critério e cuidados na busca de um sorriso branco podem se tornar um problema de saúde.

“Ao longo do tempo, foram surgindo muitos produtos caseiros. Pastas de dente, lasers e outras técnicas acabam sendo utilizadas sem nenhuma orientação. Mas o que as pessoas ignoram é a necessidade de que tudo esteja de acordo com os parâmetros de segurança, como a concentração ideal do produto, a frequência, a maneira correta de aplicação e o grau de clareamento possível”, explica Fábio Lara, cirurgião-dentista da clínica Loe+.

Para Dr. Fábio, o desconhecimento ainda é o maior perigo. “O que muita gente não sabe, por exemplo, é que a utilização do laser caiu em desuso, justamente porque apresenta riscos e problemas para o paciente. Aqui no consultório não uso o laser desde 2007. Alguns estudos já comprovaram que a utilização de fonte de luz não interfere na obtenção de bons resultados. A eficácia está relacionada a outros fatores, como, por exemplo, o tempo de exposição e a concentração do gel utilizado”, diz ele.

Os danos aos dentes e gengivas durante um clareamento dental mal conduzido ou sem a supervisão de um profissional consciente e treinado podem ir além da simples e passageira sensibilidade. Em casos mais extremos, pode, inclusive, levar à necessidade de tratamento de canal para alívio de dor. Ainda que esses problemas sejam raros, é bom conhecer um pouco mais sobre os problemas associados ao procedimento sem supervisão profissional. São eles:

  • Dor passageira estimulada pelo frio ou alimentos cítricos
  • Sangramento gengival
  • Descamação e irritação superficial das gengivas
  • Acentuação de doenças gengivais prévias
  • Irritação pulpar inflamatória 

Clareamento dental a laser e seus riscos

Os problemas e riscos do clareamento dental a laser são bem conhecidos. Ao contrário do que se pode imaginar, o feixe de laser aplicado sobre os dentes não é o responsável pela ação clareadora do tratamento. Na verdade, a função do laser, assim como acontece na técnica a led, é diminuir o tempo de consulta. Mas essa economia pode ter um custo elevado, já que o aumento de temperatura provocado por este tipo de luz pode provocar lesões na polpa dentária.

A utilização de laser e outras fontes de luz nos procedimentos clareadores precisa ser repensada. “Apesar do glamour que envolve a técnica, os riscos desse procedimento precisam ser levados em conta. Os resultados finais do uso de laser não se refletem em dentes mais claros e harmônicos, se comparados a outras técnicas”, explica Dr. Rodrigo Lara, cirurgião-dentista da clínica Loe +.

Uso indiscriminado de clareadores dentais

A popularização dos clareadores dentais e sua venda indiscriminada, diretamente ao consumidor, também podem causar sérios danos à saúde dos pacientes. O procedimento deve ser feito somente por profissionais especializados. É uma terapia que é feita com agentes químicos conhecidos como peróxido e que precisa ser encarada com muito cuidado, desde o diagnóstico, escolha da opção correta, doses e posologia indicadas individualmente e com decisões de tratamento também individualizados.

O que fazer para clarear os dentes sem danos à saúde do dente?

  • O clareamento dental de consultório pode ser realizado, com efetividade, sem aplicação de luz.
  • Com a utilização de novos agentes clareadores, que dispensam a ativação por luz, é possível conseguir bons resultados de clareamento de dentes vitais em três sessões clínicas.
  • Muitas são as técnicas e materiais indicados para o clareamento dental, sendo as técnicas realizadas ou supervisionadas pelos profissionais, as mais seguras. Dentre as técnicas, podemos citar o clareamento caseiro supervisionado, o clareamento de consultório e a associação de ambas as técnicas. Os estudos demonstram uma superioridade de obtenção de cor e de longevidade do clareamento quando se associa a técnica do clareamento caseiro supervisionado com a técnica de consultório.
  • Vale lembrar que a efetividade de uma técnica clareadora deve levar em consideração o perfil do paciente. A técnica clareadora caseira, por exemplo, é dependente de uma ativa participação do indivíduo.

O longo período de tempo de uso dos agentes clareadores, associado à sensibilidade dental exacerbada ou à presença de desconforto gengival pelo contato com o agente clareador, pode levar à descontinuidade do tratamento dental caseiro supervisionado. Pacientes que apresentam resistência ao uso de agentes caseiros ou que não possuem disciplina em sua utilização, são candidatos às técnicas de clareamento de consultório.

Depois de conhecer tantos riscos do clareamento dental à saúde dos dentes e gengivas, é de se perguntar se ainda vale a pena clarear dentes utilizando materiais “milagrosos” ou sem a supervisão de um cirurgião dentista. Do ponto de vista da viabilidade técnica e de segurança, dá para clarear dentes amarelados e escurecidos por tratamento de canal sem maiores problemas. Mas, para isso, a seleção correta dos procedimentos, o uso de concentrações de agentes clareadores mais baixos, a análise cuidadosa das condições das raízes dentárias e muita paciência devem fazer parte do tratamento. No final, é só sorrir com dentes mais claros e harmônicos”, conclui Dr. Fabio Lara.

Foto: Divulgação

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios são marcados com *

*

Assunto