Home » Bem-estar » PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO NA GRAVIDEZ

PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO NA GRAVIDEZ

A recomendação é que o acompanhamento seja iniciado ainda no planejamento da gestação 

Com o descobrimento de uma gravidez, os cuidados com a saúde tendem a ser dobrados. Ainda assim, muitas pessoas não sabem que, tão importante quanto o pré-natal obstétrico, é o acompanhamento com um dentista no período de gestação. Ao contrário do que muita gente pensa, isto nada tem a ver com o cálcio ou com dentes mais fracos. “A resistência dos dentes não sofre alteração na gravidez. O que acontece é o aumento de alguns hormônios, como a progesterona, o que pode facilitar o aparecimento e desenvolvimento de problemas nas estruturas de suporte do dente, como a gengiva”, explica Dr. Fábio Lara, odontologista da clínica Loe+.

O maior motivo para a realização do check-up é prevenir uma possível infecção, que pode ser causada por uma doença periodontal. Males como a gengivite e a periodontite podem causar males para o bebê, como parto prematuro e baixo peso, e para a mãe, como diabetes, problemas cardiovasculares e respiratórios. Alguns dos sintomas destas enfermidades são: inchaço, vermelhidão e sensibilidade na gengiva; sangramento durante a escovação; mau hálito persistente e mobilidade dos dentes.

Além disso, pode haver um aumento de chances de contrair cáries, por conta de possíveis alterações no fluxo salivar. “A saliva tem um importante papel na higienização e proteção dos dentes e da gengiva. Sua diminuição, aliada a um aumento da ingestão de alimentos, causa uma maior acidez e desmineralização dos dentes. Isto aumenta a propensão à cárie”, diz o profissional.

Vale lembrar que, mesmo com acompanhamento, os cuidados para a prevenção de doença periodontal começam em casa. Para garantir a saúde bucal, uma boa higienização é o suficiente. “Ao menos três vezes ao dia, com escova e fio dental. É o básico, mas é essencial”, garante Fábio. O auxílio de produtos com agentes antibacterianos também é bem-vindo. Além disso, algumas mudanças de hábitos podem diminuir as chances de contrair gengivite ou periodontite.

Nada de estresse

O sistema imunológico é o principal responsável pelo combate de infecções. Porém, o estresse tende a dificultar sua ação, aumentando a probabilidade dos tão temidos problemas aparecerem.

Alimentação equilibrada

A ingestão certa dos nutrientes necessários pode ser uma grande aliada da saúde bucal. Evite bebidas alcoólicas, refrigerantes e alimentos ricos em açúcar e aposte em alimentos com uma boa quantidade de vitamina C.

Não compartilhe talheres

Pode parecer exagero, mas para garantir a saúde do bebê e da gestante, tudo é válido. Dividir garfos e colheres pode ajudar na transmissão de bactérias, então a dica é evitar.

Quanto aos riscos, não há com o que se preocupar. Os anestésicos e medicamentos escolhidos para os procedimentos de uma gestante são diferentes dos de um paciente comum. Além do que, neste caso, a relação risco-benefício é sempre levada em conta. “O risco que o tratamento odontológico pode trazer à grávida é muito menor que o de uma doença periodontal não tratada”, garante Dr. Fábio Lara.

Serviço

Loe+ Excelência em Odontologia

Site: http://loemais.com.br/

Foto: Divulgação

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios são marcados com *

*

Assunto